Jornalistas e o mercado de trabalho

Estudantes de jornalismo encontram dificuldade para conseguir o primeiro estágio.

Hoje para estudar jornalismo é preciso ter mais que vocação. O mercado de trabalho para profissionais da área se ampliou com a internet ,mas a exigência e a competitividade também aumentaram. Em um mundo pós moderno, todos podem produzir conteúdo e o jornalista precisa estar preparado para se destacar.

natalia

Natália Mello estudante de jornalismo

Na faculdade, os alunos de jornalismo procuram investir em cursos de extensão em diversas áreas de atuação para suprir a exigência que muitas empresas fazem em uma vaga de estágio. Foi assim que a aluna Natália Mello , 22 anos, conseguiu seu primeiro emprego . “Na empresa que eu trabalho eles exigiam experiência para a vaga e eu nunca tinha trabalhado antes, mas, como eu tinha feito um curso de webdesign, eles se interessaram pelo meu currículo”, diz a estudante.

Segundo o jornalista Nathaniel Martins, coordenador da Rádio Melodia, a grande oferta de profissionais no mercado tem sido o principal obstáculo de muitos estudantes de comunicação para a conquista do primeiro emprego. “O estudante de jornalismo precisa ter um diferencial para alcançar o seu espaço’’, declara. Em meio a essa nova era tecnológica com diversas possibilidades para se exercer a profissão encontramos um mercado restrito.

Já a locutora Débora Lyra acredita que o essencial para um jornalista é estabelecer bons contatos . “Eu consegui o meu primeiro estágio na rádio Continental , mas eu já trabalhava com locução desde os 13 anos, então eu já conhecia muitas pessoas do meio, por isso, para mim, foi mais fácil conseguir essa oportunidade do que para outros colegas de classe”, conta.

Locutora e jornalista Débora Lyra.

Locutora e jornalista Débora Lyra.

Ela também acredita que cursos de extensão na área podem ajudar o aluno a conquistar uma vaga de estágio. “Eu fiz um curso de locução quando estava na faculdade e participava da rádio universitária fazendo de tudo um pouco no projeto”, declara a jornalista.

E foi por indicação que Nátaly Mello, 19 anos, conseguiu seu primeiro estágio, já no sexto período. A estudante que não tinha experiência na área só conseguiu a vaga por intermédio de uma colega de classe. “É muito difícil arrumar uma vaga, eu mandava currículo para diversos lugares e nem era chamada para a entrevista”, conta Nátaly. A estudante considera o campo profissional para a sua área muito fechado e muito saturado de profissionais.

Diferente dela e de outros jornalistas, Nathaniel Martins afirma que não considera o mercado de trabalho tão restrito. “Nenhum mercado é fechado se você conhece as pessoas certas. O importante é ter talento para permanecer no emprego depois de contratado”. Ele acredita que com a internet o profissional tem novas possibilidades para se destacar e conseguir um bom emprego e, às vezes, até ter o seu próprio negócio.

De acordo com o jornalista, a rede permite que muitos estudantes consigam uma oportunidade para iniciar a carreira. “Hoje muitos alunos e jornalistas formados investem em blogs e muitas vezes conseguem um emprego porque alguém viu aquele conteúdo e gostou ou até conquistam um espaço num site de um grande jornal”, diz Martins.

O novo profissional multiuso

Ser jornalista no século XXI é estar preparado para desempenhar diversas funções ao mesmo tempo. É preciso saber de tudo um pouco e estar conectado à internet e se adaptar às suas mudanças. Segundo a jornalista Débora Lyra, a internet impulsou uma nova era para os meios de comunicação proporcionando novas oportunidades de atuação. “Hoje o repórter filma, fotografa, escreve e faz tudo ao mesmo tempo. Às vezes, no carro voltando para a redação, o jornalista já publicou a matéria no site e as pessoas já comentaram e compartilharam aquela notícia”, declara Débora.

A estudante de jornalismo Isadora Mendonça, 23 anos , é estagiária de redes sociais numa rádio e está conectada o tempo todo em seu smartphone apurando notícias pelo telefone, postando vídeos e fotografando visitas ilustres que vão ao seu trabalho, isso tudo ao mesmo tempo. “Acho importante o estudante de jornalismo não ficar preso naquela ideia de que vai escrever e que não precisa aprender sobre publicidade, fotografia , webdesign entre outras funções que hoje são necessárias para conseguir um emprego”, afirma Isadora.

Lorena Pariz – Jornalismo Dgital – 6º período

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s