Gente como a gente

Oficialmente estabelecida em 2006, esta data tem por finalidade dar visibilidade ao tema, reduzindo a origem do preconceito, que é a falta de informação correta. O Dia Internacional da Síndrome de Down, celebrado em 21 de março, tem como objetivo conscientizar as pessoas sobre a importância da luta pelo bem-estar, igualdade de direitos e inclusão dos portadores de Down na sociedade. Dentre os 365 dias do ano, o “21/03” foi inteligentemente escolhido porque a Síndrome de Down é uma alteração genética no cromossomo “21”, que deve ser formado por um par, mas no caso das pessoas com a síndrome, aparece com “3” exemplares (fenômeno chamado de “Trissomia do 21”).

sindrome de downCaracterizada pela presença de 47 cromossomos em suas células em vez de 46, como a maior parte da população, a síndrome de Down ocorre no momento da concepção. De acordo com o médico Villy Zajdhaft, ginecologista e obstetra especialista em medicina reprodutiva, crianças e jovens portadores da síndrome têm características físicas bem semelhantes, rosto arredondado, olhos oblíquos e mãos menores com dedos a mais, além de estarem mais propensas a uma maior incidência de doenças, como dificuldades motoras e atraso na articulação da fala, por exemplo.

17392916_248039515660190_1232292398_n

Isadora e Henrique. [foto: arquivo pessoal].

Ele finaliza explicando que “atualmente existem testes genéticos que podem identificar a possibilidade de que o bebê tenha a síndrome de Down a partir da nona semana de gravidez, embora tenha 99,99% de chances de acerto, não há nada que os pais possam fazer para reverter este quadro.”.

Ainda que os portadores da síndrome apresentem deficiências intelectuais e de aprendizado, são pessoas com personalidade única, que estabelecem boa comunicação e também são sensíveis e interessantes. “É muito legal ver que a minha irmã, Isadora, gosta de ser tratada como pessoa normal, no meio da sociedade normal. Até a alfabetização ela estudava em colégios que eu estudava, e, quando, mudou para uma escola mais especifica, ela não gostou. Não gostava de ficar no meio de crianças só com deficiência (…)” disse Henrique Navarra, estudante de publicidade.

Cada pessoa com Down tem gostos específicos, personalidade própria e individual, habilidades e vocações distintas entre si, sendo importante ressaltar que essas pessoas têm direito e possibilidade de fazer tudo, como qualquer outro cidadão. O estudante de publicidade ainda completa: “Ela é muito geniosa e faz tudo sozinha. Gosta de ficar vendo vídeos e séries no computador dela e ouvir música e dançar. É uma pessoa como outra qualquer, apenas com as suas limitações. Distribui amor e sorrisos por onde passa.”


Martina Orlandini – 3º Período

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s