A união entre o real e o digital

231568.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxxNos últimos anos o mundo do cinema foi praticamente dominado pelos filmes nos quais um grupo de jovens participa de um grande “jogo”. Exemplos disso são “Divergente”, “Jogos Vorazes”, “Maze Runner” etc. Seguindo a tendência, os produtores hollywoodianos decidiram lançar mais um longa do gênero. “Nerve – Um Jogo Sem Regras” segue a mesma premissa das obras já citadas, mas – provavelmente – não ficará marcada na história que nem elas.

Vee DeMarco (Emma Roberts) é uma típica jovem que tem uma vida pacata, mas depois de uma discursão com sua, até então, amiga ela decide se inscrever no Nerve, um jogo online onde as pessoas precisam cumprir tarefas escolhidas por outros participantes para completar as missões. Logo no início do game, Vee conhece Ian (Dave Franco), um jogador misterioso que rapidamente a conquista, e – juntos – seguem por Nova York para terminar os desafios.

Já nos créditos iniciais é possível perceber que o filme será rodeado por uma aura do mundo digital. O roteiro de Jessica Shazer, adaptado do livro de Jeanne Ryan, traz críticas aos resultados “instantâneos” das ações na internet e os limites que eles quebram. A todo momento a trama apresenta referências inteligentes e questionamentos pertinentes, então, mesmo não tendo muitas motivações e reviravoltas surpreendentes, o roteiro entretêm o público jovem, que normalmente busca por obras mais leves.

A arte é outro ponto positivo do filme. Ela, que é completamente voltada para as mídias sociais, coloca o expectador – literalmente – dentro do mundo gamer, criando assim um longa dinâmico, interativo e muito bonito desde o primeiro momento. Isso se deve também a direção de Ariel Schulman e Henry Joost, que conseguiram fazer cenas onde o ponto de vista da uma outra roupagem para a história, como em ângulos em que a percepção de quem assiste parta do celular ou do computador.

“Nerve – Um Jogo Sem Regras” é um filme que agrada àqueles que buscam um filme leve e dinâmico, com pitadas de romance, aventura e divertimento, mas que não abram mão de uma trama que tenha ligação com temas atuais.


Fatima Amaral – 6º período

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s