Brasil joga mal, mas vence Paraguai nos pênaltis e avança na Copa América

Equipe brasileira cria pouco e termina mais uma partida sem tirar o zero do placar, levando o jogo para as penalidades

Nesta quinta (27) a seleção brasileira entrou em campo pelas quartas de final da Copa América. O adversário da vez foi o Paraguai, que na teoria tem um time mais fraco, mas se mostrou bem mais organizado e fiel a sua proposta de jogo, muito mais preocupada em não sofrer gols, do que em fazer.

O histórico do adversário fala por si. A equipe paraguaia chegou às quartas de final sem vencer nenhum jogo, apenas dois empates contra Catar e Argentina, além da derrota para a invicta Colômbia. O jogo paraguaio propicia o empate, o que pode causar situações inusitadas, como na edição de 2010 do torneio em que o time chegou a final sem ganhar um jogo sequer.

br copa.jpg

Brasil avança para as semi finais nos pênaltis (Foto: Reprodução/twitter)

Desta vez não foi diferente. O Brasil, superior tecnicamente, não conseguiu impor seu jogo, e até atletas em boa fase, como Everton e Daniel Alves, não brilharam. Firmino, mais uma vez, não trouxe para a seleção a boa fase que vive no Liverpool. Coube a um paraguaio ser o destaque do jogo. O goleiro Gatito Fernandez fez outra atuação espetacular que ajudou a levar o empate até o fim.

Nos pênaltis, o primeiro grande momento foi brasileiro. Alisson pegou a cobrança inicial e os três primeiros batedores do Brasil marcaram, até Roberto Firmino chutar longe do gol e deixar a pressão para Gabriel Jesus na última cobrança. O atacante do Manchester City acertou e classificou o Brasil para as semifinais. A seleção agora vai jogar com a Argentina na semi final.

Daniel Fernandes – 7 Período

Fotógrafa denuncia crise migratória na fronteira entre México e Estados Unidos

A imagem registrada na última segunda-feira (24) por Julia Le Duc revela o dia a dia de muitas famílias que tentam atravessar a fronteira

A fotógrafa Julia Le Duc registrou pai e filha mortos durante travessia no Rio Grande, entre os Estados Unidos e o México. Óscar Ramírez, sua esposa, Tânia Valdés Ávalos, e a filha, Angie Valeria, aguardavam há mais de dois meses na fila para pedir liberação para entrar no Estado americano.

A busca por uma vida melhor não teve o fim esperado. Vencidos pelo cansaço de aguardar sem previsão, pai e filha atravessaram o rio. Enquanto ele voltava para buscar a mãe da criança, a menina de um ano e onze meses teria pulado de volta na água. Ao tentar salvar a filha, os dois foram arrastados pela correnteza e morreram afogados.

A natureza costuma surpreender. De acordo com o mestre em Geografia Vitor Moura, o Rio Grande, também conhecido como Río Bravo del Norte, não é um local seguro para ser atravessado. Apesar disso, ele é constantemente utilizado pelos imigrantes.

Ele é um corpo hídrico profundo, que passa por um grande desfiladeiro. Além disso, os fluxos dos rios variam muito durante o ano, em virtude da estação, seca ou chuvosa. Essa configuração faz com que as águas se movimentem bastante e tornem a travessia perigosa”, afirma.

Pai e filha encontrados mortos e abraçados  (Foto: reprodução/Twitter)

Além do estado caótico dos acampamentos de migrantes, o endurecimento das normas para conseguir asilo nos Estados Unidos vem aumentando a crise migratória na região. Diante da burocracia e da demora, muitas famílias se arriscam todos os dias e tentam atravessar a fronteira de formas perigosas, o que ainda parece ser mais seguro do que continuar em seus países de origem.

“Há muitas famílias que ficam desesperadas, sob calor extremo, famintas, sedentas, que continuam dormindo a céu aberto, em condições desumanas; não são criminosos, são migrantes em trânsito”, conta Le Duc.

A presença de crianças é frequente durante as travessias rumo aos Estados Unidos (Foto: reprodução/Twitter)

Para a mestranda em Relações Internacionais Beatriz Pontes, o endurecimento da política migratória do governo Trump impactou muito pouco no desejo dos imigrantes de buscar por melhores condições de vida. Ou seja, na prática, as pessoas continuam tentando entrar nos Estados Unidos de várias formas.

Em um contexto de fome, de falta de assistência básica e de ausência de dignidade humana de forma geral, tanto faz a rigidez da política. Para quem já sofre no próprio país, tentar a sorte na travessia para chegar aos Estados Unidos não tem tanta diferença”, explica.

A foto que chocou o mundo retrata a tentativa desesperada de ter uma vida melhor e mais segura. Quando se expor ao perigo parece ser a única a chance de salvação para uma pessoa, algo precisa mudar.


Thatiana Cordeiro – 5º período

Dirigir e falar ao telefone pode ser uma combinação perigosa

Uso do celular no trânsito aumenta em 400% a chance de acidentes, diz pesquisa do Departamento Nacional de Trânsito

Acidentes de trânsito são a segunda maior causa de morte sem considerar as doenças, perdendo apenas para os homicídios por arma de fogo. Entre as principais infrações estão o excesso de velocidade, o consumo de álcool e o manuseio do celular.

Segundo pesquisa do Ministério da Saúde, um em cada cinco brasileiros admite usar o celular enquanto dirige. Desses, 25% tem entre 25 e 34 anos de idade e  26,1% tem nível de escolaridade de 12 ou mais anos de estudo.

Com o passar dos anos e o avanço da tecnologia, o celular deixou de ser artigo de luxo. Hoje, ele faz parte da rotina dos brasileiros e se tornou uma preocupação quando o assunto é a combinação direção x celular.

Com as mudanças na sociedade, o Código de Trânsito também precisou ser atualizado. Desde 2016, dirigir e usar o celular é infração gravíssima, e a multa é de quase 300 reais e 7 pontos na carteira. Vale ressaltar que utilizar os fones de ouvido é considerado infração média.

celular

(Foto: reprodução/twitter)

Segundo o Centro de Experimentação e Segurança Viária (CESVI), os motoristas chegam a ficar entre 4 e 5 segundos sem olhar para a via enquanto manuseiam o celular. O que parece pouco tempo tem sido o suficiente para causar acidentes de trânsito todos os dias.


Thatiana Cordeiro – 5º período

 

Mulheres na narração esportiva

Elas deixam o preconceito de lado, estão cada vez mais empoderadas no esporte e nem assim descem do salto

A prática esportiva nunca se restringiu a homens ou mulheres, mas o protagonismo sempre foi masculino e, durante muito tempo, mulher e esporte não caminharam juntos. Mas esse cenário está mudando. Além de muitas mulheres serem atletas, outras são narradoras e comentaristas esportivas na televisão.

A jornalista da Fox Sports, Dani Boaventura, é um exemplo dessa mudança. Ela, que sonhava com a profissão, mas nunca tinha se imaginado na editoria dos esportes, garante: “O esporte me levou por insistência”.

Eu sempre quis ser jornalista, mas meu objetivo era ser correspondente em zona de conflito. Por todos os lugares onde passei sempre me ofereceram vaga no esporte. Até que em 2013, como estavam chegando copa e Olimpíada no Brasil, eu aceitei”.

Jornalista Dani Boaventura apresentando programa da Fox Sports
(Foto: Reprodução/Rede social)

Sabe-se que muitas mulheres enfrentam dificuldades por escolherem trabalhar em um mercado majoritariamente masculino.  Dani Boaventura, comenta sobre o preconceito: “Isso é fácil resumir: no jornalismo esportivo, se um homem erra, ele se enganou. Se uma mulher erra, ela é burra e deveria ir lavar uma louça”, desabafa. Ela ainda ressalta a importância da atuação feminina no jornalismo esportivo:

Hoje me sinto feliz por abrir caminho para a igualdade. A estrada ainda é longa e nós, mulheres, precisamos administrar a velocidade dos nossos anseios com a velocidade que o preconceito demora pra sumir”.

 Primeira narradora do Campeonato Paulista Masculino, também participou do programa Narra Quem Sabe da Fox Sports, Natália Lara, conta que trabalhar na área esportiva era um sonho desde a infância. Agora, é realidade. .

Jornalista esportiva Natália Lara narrando partida de futebol pela rádio Arena Esportes.
(Foto: Arquivo pessoal)

Eu sempre fui muito ligada com esportes desde pequena, mas nunca tinha pensado em trabalhar nessa área. Eu estudava muito cinema, TV e atuação e, por isso, fui fazer uma faculdade de Rádio e TV”, conta Natália.

Disposta a investir na área, ela fez um curso de locução e se apaixonou pela narração esportiva. Hoje em dia, Natália se sente honrada por ser pioneira no âmbito esportivo e por poder ser uma referência feminina para outras mulheres que também gostam de esportes. “No começo, eu praticamente não tinha referências de mulheres, por conta dessa predominância de homens. E, agora, pensar que eu posso ser referência para as próximas gerações de mulheres que vierem pra narração esportiva, me deixa muito honrada”, comenta.

Não há dúvidas de que a presença feminina no mundo dos esportes é cada vez mais forte. Outra jornalista que se tornou uma referência no meio é a mineira Isabelly Morais: a primeira mulher a narrar uma copa do Mundo na TV.

Jornalista Isabelly Morais na emissora Fox Sports, onde atuou como a primeira mulher a narrar uma Copa do Mundo na TV
(Foto: Reprodução/Facebook)

Quando a gente trabalha com o jornalismo esportivo, sendo mulher, a gente levanta muitas bandeiras. A gente integra muitas lutas quando tem uma posição de destaque, quando quebramos barreiras muito impostas para a gente. Ficamos felizes e orgulhosas por inspirar outras mulheres. Ser mulher no jornalismo é mesmo militar por uma causa”, relata Isabelly Morais.

A jornalista e apresentadora da Fox Sports, Vanessa Riche, é outra inspiração. Ela, que já narrou Olimpíada e Pan-Americano, agora lidera o Narra Quem Sabe, um programa de narração feminina nos canais Fox Sports. “Treinei narradoras e comentaristas que pela primeira vez na história da TV Brasileira narraram e comentaram jogos de Copa do Mundo”, conta.

Jornalista e apresentadora do programa Narra quem sabe, Vanessa Riche
(Foto: Reprodução/Facebook)

As mulheres, definitivamente, estão na narração esportiva. Isso é motivo de orgulho para Vanessa, que faz parte do time feminino que vem ganhando lugar de destaque em um contexto dominado pelos homens.

É libertador. Estamos conquistando o nosso espaço com competência. Demorou mais tempo do que gostaríamos, mas hoje ocupamos espaços no campo, jogando e na arbitragem; na narração; nos comentários; nas reportagens e nas mesas redondas. A mulher é mais detalhista. Olha por outro prisma”, declara a jornalista Vanessa Riche.


Priscilla Romana – 7° período

Segundo jornalista é morto em Maricá

Jornalista do portal ‘Lei Seca Maricá’, Romário da Silva Barros, morre com tiros na cabeça

Na noite de terça-feira (18), Romário da Silva Barros, de 31 anos, foi atingido dentro do carro, na cidade de Araçatiba, em Maricá. O caso ainda está sendo investigado mas, segundo a perícia, o jornalista foi vítima de três tiros na região da cabeça. As causas do crime ainda não foram mencionadas.

Romário é o segundo jornalista morto em menos de um mês. No dia 25, o dono do jornal “O Maricá”, Robson Giorno, também foi assassinado. Ambos eram conhecidos por noticiar questões políticas da região.

Jornalista Romário da Silva Barros assassinado na última noite (18)
(Crédito: Foto Reprodução/Facebook)

 

Em nota oficial, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro repudiou o assassinato de Romário da Silva Barros e garantiu que nada vai calar a liberdade de Imprensa e o exercício da profissão. “É hora de dar um basta na violência, na intolerância, naqueles que acham que pela força, pela violência, pelo assassinato, vão calar os jornalistas”.

Pronunciamento oficial da Prefeitura de Maricá:

“A Prefeitura de Maricá vem a público manifestar a sua indignação e o seu repúdio a mais esse ato de violência contra um jornalista da cidade. Investigação imediata e a identificação e punição dos responsáveis é urgente para a população de Maricá. Um atentado contra a liberdade de expressão”.


Priscilla Romana – 7° Período

Crítico de cinema Rubens Ewald Filho morre aos 74 anos

Crítico estava internado em estado grave há quase um mês após quadro de arritmia cardíaca

O crítico de cinema e jornalista Rubens Ewald Filho faleceu na tarde desta quarta-feira (19), em São Paulo. Ele estava internado desde o dia 23 de maio, quando foi levado ao hospital Samaritano após desmaiar e cair de uma escada devido a uma arritmia cardíaca.

Rubens Ewald Filho se tornou um dos críticos de cinema mais influentes do Brasil. (Foto: Reprodução twitter)

Rubens Ewald Filho começou a carreira escrevendo para o jornal A Tribuna. Também colaborou com o Jornal da Tarde e O Estadão, além de escrever para a Revista Veja. Rubens também escreveu novelas como Éramos Seis e Gina. Como crítico de cinema, ficou conhecido como um dos mais influentes do Brasil, apresentando o Óscar na Rede Globo, SBT e TNT.

Ainda não há informações sobre o velório de Rubens Ewald Filho.

Eu carrego uma bandeira de amor ao cinema e sou um entusiasmado. O cinema sempre foi um grande companheiro, que nunca me abandonou. Ele nos ajuda a viver e a sonhar. (Rubens Ewald Filho)

Gabriel Murillo Monteiro – 6º período

Seleção feminina vence a Itália em dia de recorde de Marta

Brasil está classificado para as oitavas de final da Copa do Mundo

Na tarde de terça (18) a seleção brasileira feminina venceu a Itália por 1 a 0 e deixou bem encaminhada a classificação para a próxima fase, que se concretizou após o fim da rodada. O gol marcado por Marta foi de pênalti e agora a camisa 10 brasileira é a maior artilheira da histórias das Copas do Mundo.

Com o primeiro tempo bem disputado era difícil dizer quem se sairia melhor. Sem Formiga, suspensa pelo segundo cartão amarelo, o Brasil começou a partida com Andressinha de titular, substituição que caiu muito bem na equipe, tomando conta do meio-campo ofensivo e oferecendo perigo nas bolas paradas.

IMG_20190619_092619

Brasil vence Itália e está nas oitavas de final (Foto: Reprodução/Twitter FIFA)

No segundo tempo, só o Brasil atacou, e a seleção italiana, acuada na área, acabou cometendo pênalti na camisa 9, Debinha, que fez sua melhor partida até aqui. Coube a Marta a responsabilidade de marcar o gol da vitória brasileira.

Foi o 17° gol de Marta em Copas do Mundo, passando Ronaldo com 15 gols e o alemão Miroslav Klose, com 16, ela agora é a maior artilheira da história das Copas. A jogadora amadora Andressa Santos fala sobre a atuação da seleção: “A Marta é importantíssima pra seleção, mas ontem a Debinha e principalmente a Andressinha foram as melhores jogadoras. Foi o melhor jogo do Brasil nessa Copa”.

Ela comenta ainda sobre o recorde de Marta: “Mais um recorde importante, não só pra Marta mas também para a seleção feminina, que já tem a Formiga, com o maior número de Copas disputadas (7), e a Cristiane, que é a maior artilheira da historia dos Jogos Olímpicos (14 gols)”.

Daniel Fernandes – 7° Período

Governo italiano empresta cerca de 2 mil peças de obra de arte para o Museu Nacional

As peças estão previstas para chegar no Rio de Janeiro no início de 2020. O empréstimo será por 20 anos

O Ministério da Cultura da Itália vai enviar cerca de 2 mil peças de obra de arte para o Museu Nacional do Rio de Janeiro, além de ajudar na restauração dos objetos encontrados em meio aos escombros, depois de um incêndio ter destruído parte do prédio em setembro de 2018.

As peças devem chegar ao Brasil no início de 2020 e, enquanto a restauração do Museu Nacional não esteja concluída, as obras de arte ficarão no consulado italiano. Dentre os objetos emprestados ao Museu Nacional, há estátuas de mármore e pinturas sobre gesso com mais de 2 mil anos.

museu nacional

O Museu Nacional foi a casa da Família Real no século XIX. (Foto: Reprodução/Twitter)

Além dos acervos, o Ministério da Cultura italiano enviou uma das melhores restauradoras do mundo, a funcionária do Parque Arqueológico de Herculano, Elisabetta Canna, que está acompanhando o processo de recuperação das peças já encontradas.

O governo da Itália pretende encontrar e restaurar peças importantes do acervo que ficaram perdidas após o incêndio no Museu Nacional. Muitas delas foram encontradas no sítio arqueológico de Herculano, no Sul da Itália, e trazidas para o Brasil pela esposa de Dom Pedro II, Teresa Cristina. Elas são consideradas raras por terem sobrevivido à erupção de um vulcão.


Tainá Valiati – 7° período

 

 

Liam Gallagher ex-vocalista do Oasis anuncia novo álbum

Sem novidades desde 2017, o ex-membro do Oasis anuncia seu segundo álbum solo

A carreira de Liam Gallagher é cada vez mais independente, mas ainda com a fórmula do antigo Oasis. Gallagher anuncia seu novo álbum, chamado “Why me? Why not” e, como divulgação, lançou a música “Shockwave” no último sábado (15).

O sucessor de “As You Were”, lançado em 2017, parece ser mais pesado, mas ainda tem cara de um hit saído dos anos 90. A fórmula já conhecida pelos fãs no Oasis está de volta com as guitarras agudas e as batidas marcadas.  O som já característico da banda se estende para a carreira solo do vocalista.

liam-gallagher-shockwave
Lian Gallagher anuncia lançamento do novo álbum “Shockwave” (Foto: Divulgação/Liam Gallagher)

Como “As You Were” tinha um clima bem diferente, alguns fãs estranharam a volta ao britpop que o fez conhecido. O baixista e admirador da banda, Felipe Vieira, fala sobre o novo álbum do artista: “Ouvi ‘Shockwave’ e gostei bastante. Deu até uma nostalgia, porque parece muito com as músicas que o Oasis já fazia, o toque britânico é bem forte. Imagino que o álbum tenha esse mesmo clima”.

Daniel Fernandes – 7° Período

HBO inicia filmagens de série baseada em “Game Of Thrones”

Para a alegria dos fãs, o estilo “Game of Thrones” está de volta

As filmagens de uma série baseada em “Game Of Thrones” começaram na Irlanda do Norte, onde ocorreram as gravações de “Westeros”.

Para a alegria dos fãs, o estilo “Game Of Thrones” está de volta. (Foto: Reprodução/Twitter)

A série, cujo nome ainda não foi divulgado, se passará cinco mil anos antes dos eventos de “Game Of Thrones” e irá revelar a origem de White Walkers e o fim da Era dos Heróis, quando se inicia a Longa Noite.

Em relação ao elenco, nenhum dos atores de “Game Of Thrones” estará presente . Foram confirmados na produção Naomi Watts, Josh Whitehouse, Denise Gough, Naomi Ackie, Jamie Campbell Bower, Sheila Atim, Ivanno Jeremiah, Georgie Henley, Alex Sharp, Toby Regbo and Miranda Richardson.

Até o momento, a HBO está apenas produzindo um episódio piloto. Caso a recepção por parte do público seja positiva, a série será produzida.


Gabriel Murillo Monteiro – 6° período